SALTO DE OBSTÁCULOS

União da família foi determinante para manter o negócio, conforme o sonho do fundador

João Carlos Ribeiro era conhecido por sua determinação, a ponto de não se assustar com riscos. Sua trajetória de vida registrava superação de situações dramáticas, tais como duas quedas de avião e duas infecções por malária. Em uma delas, chegou a receber extrema-unção de um padre.


Mas, em janeiro de 2007, aos 54 anos, foi vitimado por um acidente aéreo em Londrina (PR). “Ele não gostava de pendências. Até por isso veio a falecer, não deveria ter ido viajar naquele dia, naquela hora, naquele local, pois não havia necessidade. Mas ele era muito proativo”, diz o filho Bruno.


Apesar do momento turbulento, a família teve clareza de que deveria seguir em frente. “A gente agiu muito como ele agiria. Não chorar, voltar para o trabalho, seguir o sonho e tocar o negócio da melhor maneira possível”, comenta. Segundo Bruno, era preciso sinalizar um caminho para as pessoas, embora fosse difícil minimizar o abalo da perda. “Ele morreu na sexta-feira e na segunda-feira, a gente já tinha de estar na empresa. Como ele era muito presente, foi difícil a gente levantar a energia da empresa até restabelecer o ambiente”, conta.


Aos 21 anos à época, Bruno já estava envolvido com o negócio. A esposa Vera, não diretamente, mas decidiu ingressar de forma efetiva na gestão, sobretudo porque a morte de João Carlos deflagrou um conflito com o sócio, que poderia resultar na perda do controle da Vetnil. “Eu sempre acreditei no nosso negócio, e sempre tive orgulho da nossa empresa, em virtude de termos bons produtos e de fazermos as coisas corretamente. Eu jamais iria perder a empresa para o sócio, porque era algo que nós idealizamos e lutamos por isso”, afirma. Como o inventário correu de modo rápido, a ameaça de perder a empresa se dissipou, embora desgastes não tenham faltado no período posterior à morte do fundador.


Vera atualmente ocupa a presidência e Bruno, formado em administração, é o vice-presidente. A filha Giuliana, graduada em design gráfico, é responsável pelo endomarketing da companhia. A presença da família nos negócios concretiza um desejo de João Carlos. “Ele nunca deu palpite nas escolhas dos cursos, porém, queria que houvesse um vínculo nosso para continuar a Vetnil. Era desejo dele que a gente tocasse o negócio”, relata Giuliana. Assim, a família assumiu as rédeas da empresa.


17 visualizações0 comentário