PLANEJAR É PRECISO

A empresária Adriana Balbinotti Soares optou por sair da gestão da empresa fundada por seu pai para criar o Frigorífico Estância Celeiro ao lado do marido. A decisão surgiu após uma elaboração cuidadosa de seu projeto de vida

O ano de 2007 marcou o começo de uma grande virada na vida da empresária Adriana Balbinotti Soares, sócia da Sementes Adriana, especializada na produção de sementes selecionadas de soja e mileto, com sede em Rondonópolis (MT). Se, por um lado, a carreira na organização que levava seu nome e fora fundada por seu pai, Odílio, em 1981, proporcionava-lhe estabilidade e tranquilidade, por outro ela sentia que precisava apostar no seu espírito empreendedor. A família viveu o processo de construir um protocolo societário, no qual decidiram pela passagem dela e do pai para o Conselho de Administração e a transferência da Presidência para seu irmão, Odílio Jr. Adriana e o marido, Marco Túlio Duarte Soares, fundaram então o Frigorífico Estância Celeiro, que produz carnes nobres de ovinos e bovinos.

A mudança não foi uma decisão fácil. A insegurança em relação ao futuro e os riscos de um novo negócio a preocupavam. O empurrão que faltava veio com a elaboração de um minucioso projeto de vida, debatido com ela e desenhado em conjunto com a höft bernhoeft & teixeira. “Eu precisava provar para mim mesma que tinha condições de ser reconhecida pelo meu talento e não apenas por ser filha de um empresário de sucesso na região”, diz ela. “Não me arrependo e posso afirmar que hoje me sinto realizada.”

Durante dois anos, Adriana e Marco Túlio mantiveram encontros frequentes com especialistas da höft. Fizeram resgate de suas trajetórias de vida, testes para a definição de seus respectivos perfis, participaram de sessões com uma psicóloga, leram livros e assistiram a filmes recomendados. Seus pais também foram convidados para algumas reuniões. Em paralelo, a família debatia o futuro da sociedade na empresa fundada pelo pai. “Graças a essa preparação, descobri que queria mais da minha vida profissional”, conta Adriana.

Autoconhecimento

A oportunidade lhe permitiu ainda uma profunda reflexão sobre seus pontos fortes e aqueles que precisavam ser aprimorados, ajudando-a na definição de objetivos futuros e na estruturação de um plano de desenvolvimento autossustentado. “Compreendi que cada situação exigia um comportamento certo e coerente”, afirma. “Ter consciência disso me possibilitou alcançar o equilíbrio entre os projetos pessoais e os profissionais.”

O embrião da sucessão

Durante a elaboração do projeto de vida, Adriana também avaliou as melhores opções para a preparação de seus filhos, Arthur e Júlia, que herdarão tanto a empresa do avô, quanto a empresa fundada por seus pais, no futuro. Já está definido, por exemplo, que Júlia estudará no exterior durante um ano para aprender inglês. Depois, ao terminar o ensino médio, fará vestibular para tentar estudar numa faculdade de primeira linha. Arthur deverá seguir mais tarde o mesmo caminho. Ambos, no entanto, já demonstram o mesmo espírito empreendedor dos pais.

Arthur visita frequentemente o curral do Estância Celeiro, ajuda os funcionários a tratar dos animais, embala os produtos e ganha simbólicos 10 reais por dia pelo entusiasmo que vem demonstrando. “Eles precisam entender que a empresa que herdarão no futuro é resultado de muito trabalho e empenho”, explica a empresária. “A Sementes Adriana, fundada por meu pai, já passou pela primeira sucessão. Amanhã será a vez da minha própria empresa.”

Para dar início ao negócio, Adriana acertou com o pai o arrendamento de uma das fazendas da Sementes Adriana para funcionar como sede do novo negócio. O Frigorífico Estância Celeiro deu seus primeiros passos comercializando somente carnes de cordeiro. Nessa época, um amigo do casal, proprietário de um conhecido restaurante na cidade, decidiu encomendar alguns quilos para compor seus pratos. Foi quando o negócio começou a deslanchar. Os clientes logo passaram a perguntar sobre a origem da carne, que ganhou fama na região e passou a ser muito procurada, também por ser uma inovação extremamente saudável. Com a demanda crescendo, Adriana e o marido ampliaram o negócio. Começaram a vender também carne bovina, em especial das raças Angus e Hereford. “São raças especiais, que produzem uma gordura marmorizada que torna a carne macia e saborosa”, diz a empresária. Atualmente, o Estância Celeiro tem duas butiques de carne na cidade de Rondonópolis, comercializa suas carnes nas principais cidades do estado do Mato Grosso e tem planos de chegar a outras regiões do país. Ainda neste ano, Adriana pretende comercializar carne da linha América, cuja origem são fêmeas de nelore jovens.

No front

Para viabilizar o novo empreendimento e alcançar o sucesso, conquistado no prazo de apenas três anos, ela teve de trabalhar e se envolver muito mais do que na época em que atuava na empresa do pai. Nessas ocasiões, fortalecia suas convicções refletindo sobre o que estava aprendendo com a elaboração do seu projeto de vida. “Agora que estou à frente dos negócios, a responsabilidade é imensa e os rumos são definidos por mim e meu marido. Trabalho nos finais de semana e feriados, e passei enxergar a vida empresarial com outros olhos.”

Mais do que isso, o processo de estruturação do projeto de vida ajudou Adriana a compreender as mudanças que a Sementes Adriana sofreria com o afastamento dela e do pai do dia a dia dos negócios, além da passagem da Presidência para o irmão. Segundo ela, ficou claro que, como acionista, seu papel deveria ser o de apoio irrestrito às resoluções que fossem tomadas pelo irmão no comando. “Nós nos damos muito bem e ele me agradece sempre por não interferir no trabalho dele.”

42 visualizações